5/22/2023

Maurício Noriega opina sobre Abel Ferreira treinar a seleção: “não deveria aceitar”

Um dos comentaristas mais respeitados e conhecidos do Brasil, Maurício Noriega conversa com Danilo Gentili no The Noite desta segunda (22). Depois de muitos anos de SporTV, ele agora é um dos astros do “Papo de Craque”, da Transamérica, e fala sobre o emprego anterior: “teve uma época que eu falei ‘será que vou acabar minha carreira aqui? Será que tem vida fora daqui?’. E estou vendo que tem uma vida bem legal. É legal descobrir que tem outras possibilidades”. Após 21 anos no canal, comenta sua saída: “aconteceu como tinha que acontecer. Eu não estava muito feliz lá, as coisas tinham mudado. Aproveitei. Sou muito grato às oportunidades”. E fala das substituições feitas: “a empresa toma as decisões dela. Eu estou em uma outra fase da vida agora, quero ser feliz. Precisa acontecer renovação na vida mas, para mim, ela é sempre do pior para o melhor. Você tem que ter um parâmetro de qualidade. Todas essas pessoas que saíram (de lá), tenho certeza que elas não deixaram de entregar”.

Ao falar da parceria com Milton Leite, declara: “a gente demorou para caramba para construir essa parceria. Foram 18 anos fazendo jogos juntos, a gente tinha um retorno legal das pessoas nas ruas, rede social. A entrega era super bacana e de repente as coisas mudaram e a gente deixou de fazer juntos. Mas a amizade ficou. É um cara espetacular”. Ele diz que já teve problemas com torcidas e conta um episódio de 2005, em um jogo entre Santos e Corinthians. “Aconteceu um pênalti a favor do Corinthians. O Giovani, que jogava no Santos, pega a bola e dá um bico para a arquibancada. Os caras foram direto na nossa cabine e quebraram a cabine inteira. Jogaram monitor no chão, luz, agrediram um operador de áudio”, relata. Noriega recorda o pai, Luiz, que também foi um grande locutor, comentando como ele era próximo de Pelé. Segundo Maurício, em uma ocasião, seus pais estavam com o jogador em um aeroporto e sua mãe, grávida, foi confundida por uma fã com a esposa do Rei. “Fui príncipe por um momento”, brinca.

Questionado se acha ruim que um estrangeiro treine a seleção brasileira, diz: “não vejo nenhum problema.... Se fosse avaliar por resultado e desempenho, teria que ser o Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, português. Só que não sei se ele aceitaria e acho que não deveria aceitar, mesmo convidado, porque vai pegar uma roubada”. E opina sobre Luxemburgo no Corinthians: “acho muita sacanagem isso de falar que o cara está ultrapassado. É muita maldade, falta de respeito. Acho que ele tem possibilidade de dar certo, o problema é que as coisas estão tensas no Corinthians. É bom treinador, mas ninguém faz milagre”. 

O The Noite é apresentado por Danilo Gentili e vai ao ar de segunda a sexta-feira, no SBT. Hoje, a partir de 00h45.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário